Arquivo | junho, 2013

Nasce uma estrela…

25 jun

Se vocês estão aí achando que nós dois somos os únicos malucos que viemos parar aqui do outro lado do mundo, estão muito enganados! O que não faltam aqui são brasileiros! É o que mostra o programa O Mundo Segundo os Brasileiros que foi ao ar hoje na Band e que eu tive o prazer de participar!

Foi um dia inteiro falando como uma matraca debaixo de um sol escaldante que se resumiu em 8 míseros minutinhos de programa, mas quem trabalha com TV sabe bem como é. Mas toda trabalheira, zanzando pela cidade num calor de lascar, compensou a oportunidade de mostrar um pouco da minha vida aqui ao pessoal no Brasil! Foram tantas mensagens dos amigos e da família, que eu me senti mais perto de casa.

Eu aqui, com o esse fuso horário ingrato, só fui assistir ao programa com muitas horas de atraso, mas na companhia de amigos que também participaram das gravações e que toparam se reunir para tomar uma cervejinha e amenizar a vergonha coletiva!

Aí vai o link pra quem ainda não viu. Ou quer ver de novo!

E fazendo das minhas as minhas palavras de novo: “beijo galera, até a próxima! Tchau, Brasil!”

Bastidores das gravações:  Momento metalinguístico com o João!

Bastidores das gravações:
momento metalinguístico com o João

cissa.em.uluwatu

24 jun

“O pior dia de praia é melhor que o melhor dia de trabalho!”

Sem mais por hoje.

Me retiro deixando vocês com o vídeo da nossa viagem a Uluwatu com os amigos Fernanda e Gustavo, que a essa altura devem estar sonhando com as próximas férias!

Cissa.em.haze

21 jun

Tanta coisa acontecendo no Brasil, que nem tenho energia para escrever aqui no blog. Meu coração está em casa agora, mas vou continuar mandando informações da nossa situação aqui em Cinga…

Hoje o país bateu mais um recorde! O índice da qualidade do ar ultrapassou a marca de 400… Lembrando que o pior registro era de 226, em 1997.

Saí para almoçar e levei as câmeras comigo para fazer um breve registro, afinal não dá pra ficar muito tempo na rua exposta a esse ar venenoso! Taí o vídeo editado em tempo recorde também!

Desculpem passar tão rápido por aqui hoje, mas vou voltar ao facebook, meu aliado maior para saber notícias do Brasil…

Atualização!

20 jun

Três dias depois de escrever o último post sobre o haze em Cingapura, atingimos o pior nível de poluição desde 1997, quando o índice de qualidade do ar chegou a 226. Hoje esse mesmo índice já ultrapassou os 300, o que é considerado “perigoso” para a Agência Nacional de Meio Ambiente.

O “kit sobrevivência” inclui colírio, muita água e máscaras e óculos para andar na rua. A casa segue fechada e a paisagem lá fora, cinza e feia.

Agora me dêem licença que eu vou me equipar para sair na rua e caminhar até o pilates. Inté!

 

E o inverno chegou! (só que ao contrário)

17 jun

Hoje Cingapura amanheceu como uma bela manhã de inverno nas montanhas. Poderia jurar que era dia de acordar preguiçosamente e tomar uma xícara de chocolate quente enrolada numa mantinha colorida. Poderia ir para a varanda pegar uma brisa fresquinha e ver a cidade escondida sob a névoa.

Nada mal essa segunda feira fria depois de um longo e tenebroso verão do equador… Porém mesmo com todas as janelas fechadas o cheiro de queimado invadia o apartamento para lembrar que não existe inverno em Cingapura. Brisa fresquinha, nem em sonho! Lá fora faz um calorão abafado e o meu delicioso foggy day não tem nada a ver com frio.

Impossível acordar, dá de cara com um dia desses aqui e achar normal. Então corri pra internet (fala aí, Google…) para averiguar qual seria a novidade da vez. O que eu descobri é que se trata de um fenômeno bastante recorrente, quando a cidade é invadida pela fumaceira vinda das queimadas nas florestas de Sumatra, que agora está na época de seca. O problema é ainda mais grave, uma vez que muitos dos incêndios são provocados intencionalmente para “preparar” a terra para o cultivo. O site que testa diariamente a qualidade do ar recomenda às pessoas mais sensíveis a problemas respiratórios evitarem ir às ruas. Minha bronquite segue adormecida, mas os olhos estão ardendo desde cedo.

Na dúvida, vou ficando por aqui. Janelas fechadas, ar condicionado bombando. Quem sabe eu não acredito que o inverno chegou?

cissa.em.chinatown

7 jun

Não ligo pra cronologia. Muito pelo contrário. Adoro filmes que começam pelo fim, de preferência com a morte do mocinho. E antes de iniciar um novo um livro leio sempre último parágrafo. Então, não vai ser aqui no meu blog que vou me preocupar com a ordem dos acontecimentos, certo?

O vídeo de hoje retrata uma noite que aconteceu há muito tempo numa galáxia distante. Havíamos chegado há poucas semanas em Cingapura e bater perna pela Chinatown ainda era uma novidade. Mas de fato essa noite foi diferente e não vimos mais o lugar tão cheio e animado desde então, já que estávamos na véspera do Ano Novo Chinês. E, pra nossa sorte, o maior feriado daqui coincidiu justamente como o nosso primeiro carnaval longe do Rio, lembram? Contei tudo isso aqui.

Como promessa e dívida, finalmente arrumei um tempo para editar o material das gravações daquela noite. Reparem: verão bombando, todo mundo suado, aquela falta de glamour de sempre! E pra quem anda reclamando que os vídeos estão muito curtos (viu, Marcinha? viu, mãe?), adivinhem só?! Pois é, continuam curtinhos, curtinhos…

 

Burma VJ

6 jun

Continuo falando sobre o mesmo tema e vocês vêem como Myanmar conquistou um pedacinho do meu coração. Já escrevi, mostrei fotografias e fiz até vídeo, então prometo que não vou falar de novo da mesma viagem para não perder minha meia dúzia de fiéis leitores. Hoje meu post é curtinho, pois vou deixar que falem por mim através de um documentário que assisti semana passada, quando o namorado e eu estávamos a procura de mais informações sobre esse país que passou tanto tempo recluso para o resto do mundo.

Assistindo ao filme Burma VJ fiquei de queixo caído. Me emocionei, chorei, me indignei e me orgulhei de uma nação que nem minha é e sobre a qual eu ainda sei muito pouco. O filme narra os protestos contra o regime militar liderados pelos monges em 2007 através de vídeos e informações captadas ilegalmente por corajosos jornalistas e cinegrafistas. Não vou contar mais para não estragar a experiência de quem for assistir. Mas confiem na dica e assistam.

Tem até o link para ver no youtube (em 10 partes). Quer mais moleza que isso?!

OBS: A quem for assistir, reparem que o local onde os monges se reúnem para os protestos é justamente a Shwedagon Pagoda, onde gravamos e fotografamos a multidão no Full Moon Day of Kason.